Zum 11 . Zanele Muholi, Fernando Lemos, Joan Fontcuberta, Martin Parr, José Domingo Laso, Gerhard Richter, Arthur Omar, Mario Ramiro, Thomas Hirschhorn

R$57,50

A revista ZUM evidencia a relação entre fotografia e política com a série de retratos Faces e fases, da sul-africana Zanele Muholi, autora da fotografia de capa desta edição. Há mais de dez anos, a artista fotografa mulheres negras lésbicas e transgêneros para mostrar e proteger essa comunidade, muitas vezes invisível e ameaçada por crimes de ódio.

Em estoque

A revista ZUM evidencia a relação entre fotografia e política com a série de retratos Faces e fases, da sul-africana Zanele Muholi, autora da fotografia de capa desta edição. Há mais de dez anos, a artista fotografa mulheres negras lésbicas e transgêneros para mostrar e proteger essa comunidade, muitas vezes invisível e ameaçada por crimes de ódio. Cada uma das mulheres fotografadas representa aquelas que foram estupradas, assassinadas ou submetidas a outros tipos de violência. A série ultrapassa 250 retratos e foi exibida na Documenta de Kassel 12, na 55ª Bienal de Veneza, na 29ª Bienal Internacional de Arte de São Paulo, entre outras mostras.
O artista brasileiro Arthur Omar estreia na ZUM uma nova série de imagens feitas a partir de sua viagem ao Afeganistão. Com a sobreposição das fotos que tirou durante a viagem de 2002, logo após a invasão pelos Estados Unidos, Omar dá novo significado às cenas de um país destruído pela guerra. A série é comentada pelo ensaísta espanhol Adolfo Montejo Navas.
Outro destaque é o texto “Dança sélfica”, uma análise afiada das selfies feita pelo artista e ensaísta catalão Joan Fontcuberta. Em ensaio aprofundado, mas leve e descontraído, ele mostra como a fotografia tem deixado de servir à preservação da memória para se transformar em elemento de comunicação. As fotografias que acompanham o texto são do fotógrafo inglês Martin Parr.
O pintor, fotógrafo e artista gráfico Fernando Lemos faz minuciosa revisão de sua trajetória em entrevista ao professor Rubens Fernandes Junior. Aos 90 anos, Lemos comenta momentos importantes de sua vida e discorre sobre os princípios que norteiam sua arte, a partir de fotos (algumas inéditas) produzidas entre 1945 e 1952, período em que morava em Portugal e convivia com um grupo de artistas surrealistas.
O embate entre fotografia e pintura é o mote do artigo sobre Gerhard Richter, um dos artistas mais bem sucedidos do mundo. Com retratos de família recobertos com sobras de tinta, imagens retiradas de revistas, fotografias amadoras e até retratos de Hitler, Richter discute a influência da cultura de massa na construção de nossa história e memória, segundo artigo do curador suíço Joerg Bader.
A limpeza étnica promovida pelas fotografias de José Domingo Laso reflete os princípios do embelezamento urbano instaurado após a Revolução Liberal equatoriana (1895). Utilizando diversas técnicas de edição para disfarçar ou eliminar os indígenas das fotografias de monumentos, praças e edifícios, o fotógrafo mostrava a cidade de acordo com o desejo das elites, segundo texto do antropólogo visual François Laso, bisneto de José Domingo Laso.
O coletivo Trëma estreia na revista o projeto Memento, vencedor da Bolsa de Fotografia ZUM/IMS de 2015. A partir de depoimentos colhidos no Brasil, o coletivo viajou ao Congo e à Colômbia para fotografar as memórias de dois imigrantes que desembarcaram aqui no ano passado e contar suas histórias por meio de imagens.
Esta edição traz ainda a pesquisa do artista e professor Mario Ramiro sobre fotografias de espíritos produzidas no Brasil. A partir de reproduções de álbuns, livros e revistas – uma vez que a maior parte dos originais fotográficos se perdeu ou permanece oculta pelo temor de acusações de fraude –, o artista explora a relação entre a fotografia e a verdade, a ciência e a religião. Ramiro é também o autor das oito narrativas xerográficas que abrem esta ZUM – resgate de um trabalho desenvolvido pelo artista em 1979.
Para completar os temas políticos, ZUM apresenta a polêmica série Colagem de pixels, do artista suíço Thomas Hirschhorn. O artista defende a veiculação de imagens de violência como forma de enfrentar as consequências brutais das guerras. Para ele, evitar essas fotografias é uma maneira de manter uma distância confortável, narcisista e excludente da realidade. O portfólio é seguido de um manifesto do artista e de um artigo do curador Tobi Maier.

Peso 0.65 kg
Dimensões 21 × 2 × 26 cm
Autor(es)

Zanele Muholi, Fernando Lemos, Joan Fontcuberta, Martin Parr, José Domingo Laso, Gerhard Richter, Arthur Omar, Mario Ramiro, Thomas Hirschhorn

Titulo

Zum 11

Editora

IMS

Edição

Ano

2016

Local de produção

São Paulo . Brasil

Idioma

Português

Encadernação

Brochura

Updating…
  • Nenhum produto no carrinho.