A Xilogravura popular – Xilógrafos e poetas de cordel . Edna Matosinho de Pontes, Fabio Magalhães

R$150,00

A Xilogravura Popular – Xilógrafos e Poetas de Cordel, reúne um expressivo conjunto de xilogravuras criadas por artistas populares ligados ao Cordel. A profusão temática reunida na exposição realizada no Museu Nacional da República, em Brasília (novembro de 2018- fevereiro de 2019) e aqui reproduzida, revela a extraordinária riqueza do imaginário popular do sertão nordestino.

Em estoque

Há, também, obras de artistas plásticos que, embora não façam parte da denominada arte popular, produziram xilogravuras com linguagens de ‘parentesco’ com o Cordel.
A maioria das gravuras expostas, apesar de retratar histórias criadas por poetas populares e apresentar personagens e alegorias vinculados aos folhetos de Cordel, foi feita para ser apreciada como obra de arte autônoma e não mais como ilustração dos folhetos, que obedeciam o pequeno formato dos clichês de 15×10,5cm.
Vários fatores levaram a xilogravura de Cordel a tornar-se independente do folheto e ganhar prestígio como obra de arte. É importante salientar que a independência se deu sem abdicar da poética e do modo de fazer que caracterizam o Cordel. A mudança ocorreu quando a xilogravura popular despertou interesse de intelectuais e de artistas modernos e, também, quando muitas editoras abandonaram a xilogravura e passaram a substituir as capas dos folhetos por clichês fotográficos e pela zincogravura, com imagens mais ‘nítidas’ e de fácil percepção. Entretanto, os gravadores populares ao aceitar encomendas em formados de maior dimensão mantiveram o mesmo modo de entalhe da madeira, alguns conservaram, até mesmo, as mesmas ferramentas, e as imagens criadas permaneceram aquelas oriundas das crenças e das histórias que alimentavam os folhetos.
Na poesia rimada e na xilogravura surgem histórias e imagens fantásticas – da vida amorosa; dos milagres e castigos de Deus; de proezas diabo e da luta do bem contra o mal; de cangaceiros, reis e princesas; de monstros sobrenaturais, como o lobisomem; de sátira e crítica social; da fome e da fartura; da força da natureza, das secas que flagelam a região.

Peso 2.4 kg
Dimensões 29 x 3.5 x 29 cm
Autor(es)

Edna Matosinho de Pontes e Fabio Magalhães

Título

A Xilogravura popular – Xilógrafos e poetas de cordel

Editora

Galeria Pontes

ISBN

9786580099009

Edição

Ano

2018

Local de produção

São Paulo . Brasil

Idioma

Português, Inglês

Encadernação

Capa dura

Páginas

300

Updating…
  • Nenhum produto no carrinho.